segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Diario de bordo: Data Estelar: 28/12/2007


As temperaturas estão variando cada vez mais nesse pequeno planeta azul-acinzentado, sim estão variando... Há dias, cara nave-mãe que quase morremos de frio, tem dias que quase morremos de calor....Uns falam que são efeitos do buraco na camada-de-ozônio, outros falam que é o final dos tempos, outros, que é culpa de todos essa situação, e eu acho que no final,é tudo isso mesmo.
Os habitantes aqui reservam-se datas para comemorar datas especiais, sim cara nave-mãe isso é verdade, por mais confuso que pareça ser, mas há que se ter essas datas, pois nos intervalos entre essas mesmas datas, eles passam o tempo se destruindo, se degladiando e se matando por pequenas coisas, por pedaços de terras, por conflito de idéias, pelo que acham correto que colide frontamente com a opinião de outros que acham que, o que os primeiro acham correto está totalmente errado.
Além da total falta de comunicação e incompreenssão de quando falam a mesma língua, eles tem mais de 100 linguas diferentes , então talvez esteja ai, um dos problemas de sua total falta de comunicação.
Falando em celebração de datas, esse é o mes do natal, nessa data se comemora a vinda de um salvador, um mártir, que no fim não acabou salvando ninguém e ainda foi executado, mas a celebração é a da fé nesse salvador, fé nos princípios e nas lições deixadas por esse salvador, então ficamos aqui confusos, onde foi parar esse salvador? esses dados serão levados a nosso computador de bordo....para tentarmos entender....
Nesse mesmo natal, morreram muitas pessoas nas estradas, muitas pessoas foram presas, os comerciantes comemoraram suas vendas polpudas, os pequeninos da espécie, muitos foram executados, outros são executados lentamente no dia-a-dia, pela fome, pela ausencia de amparo, mas mesmo assim ainda arrumam tempo para fazerem alguns malabarismos nos faróis.
Fizemos vôos rasantes com nossa nave de exploração, visitamos festas, por aqui chamadas de "bacanas", onde havia a celebração de uma falsa alegria, visitamos palanques de politicos onde a celebração era a hipocrisia e também visitamos olhares esperançosos, de amantes, de crianças, de trabalhadores, de mães dedicadas e constatamos que seu olhar era esse mesmo, de esperança, de alegria.
Vimos as novas tecnologias desse planeta e como eles são fascinados por isso, mas cara nave-mãe, oque fazer-se com tanta tecnologia, se eles não possuem a tecnologia básica de convivencia em grupo e de zelar e protege esse mesmo grupo?
Talvez com o "polinomio de benares" em nosso super-computador de bordo, consigamos dar a luz a tantas questões, mas minha conclusão básica, é que por mais material que coletemos, nossos cientistas de bordo e de nosso planeta, nunca chegarão a algum lugar...Enfim...
Pedi ao sr. Sumo e ao sr. Rocharsk para acertarem nossa rota, para rotas circulares sempre fazendo um cruzamento de latitudes e longitudes, de forma que varramos os pontos principais desse planeta e pelo menos suas formas geográficas sejam bem claras para nós...
Sigamos em frente então....
cambio final...

Nenhum comentário:

Buddha Quote of the Day